IMPLANTAÇÃO BIM EM UNIVERSIDADES

As grandes desenvolvedoras de conhecimento precisam entrar no BIM!

(caso não tenha, leia antes a “Implantação BIM – Matriz Base“)

A incorporação plena do BIM em empresas e em toda a cadeia de negócios da indústria da construção civil somente terá sucesso quando as universidades o adotarem não como um curso de extensão, mas sim quando inserido como ferramentas nas disciplinas regulares dos cursos de arquitetura e engenharia.

São as universidades que preparam os profissionais do futuro. Quando estas introduzirem o conceito e suas ferramentas no seu dia a dia, até mesmo o conceito BIM não será mais usado pois já terá sido assimilado pelas disciplinas.

Mas o desafio de uma implantação em um grupo tão complexo e com processos que levam muitos anos é sim o maior desafio para qualquer consultor. Minhas pesquisas levaram à algumas conclusões que gostaria de compartilhar objetivando uma discussão sobre o assunto.

Etapas propostas:

  1. Qualificação em BIM dos professores – Aqui a etapa mais importante e complexa do processo. Qualificar os professores no conceito BIM é uma etapa essencial para a introdução do BIM nos currículos universitários. Resumidamente se estes profissionais não assimilarem o conceito e sua importância no novo cenário nacional e internacional, a implantação deve parar. Por esta razão, antes de qualquer coisa deve haver uma conscientização por meio de palestras, seminários, mesas de discussão, reflexões de trabalhos semelhantes em outras instituições, simulações e etc. Com esta equipe bem instruída, a implantação seguirá sem problemas. Os professores são e sempre foram os maiores multiplicadores de conhecimento no mundo.
  2. Estudo de disciplinas – Não desviando do foco da Matriz base, o estudo individual das disciplinas deve ser uma relação com os professores de tal disciplina e a consultoria. O objetivo é como utilizar o conceito, suas ferramentas e como criar relações predecessoras e sucessoras de suas ações e resultados.
  3. Qualificação dos alunos – Podendo ser uma etapa assimilada pelo simples resultado do item anterior, pode-se também criar uma plataforma de ensino à distância (EAD). Já bastante utilizado no Brasil, um EAD de ferramentas BIM ajudaria os alunos a aplicarem de forma imediata os conceitos básicos das ferramentas, melhorando significativamente as aulas presenciais.
  4. Ações multidisciplinares – Durante o processo de implantação, atividades multidisciplinares devem ser desenvolvidas para a experimentação do conceito em ambiente simulado. Estas atividades devem envolver profissionais de diversas fases e ainda envolvendo alunos e professores de arquitetura e engenharia, pois essa é uma das práticas mais comuns impulsionadas pelo BIM.

É simples descrever uma implantação em nível faculdade desta forma mas a realidade é bem complexa. No entanto, certamente possível e até inevitável. Muitas universidades já estiveram e ainda estão neste processo.

Pretendo de forma regular falar sobre o assunto em palestras e live’s pelo Youtube e Facebook. Vamos discutir o assunto.

David Silva Pinto